Instituições contribuem para inclusão social dos cegos

Deficiente visual lendo livro em Braille

Com o objetivo de melhor integrar os deficientes visuais na sociedade, instituições filantrópicas dão atenção a necessidades especiais dos cegos, como acesso a livros em Braille e a utilização de cães-guias.

Saiba mais:

Projeto Cão-Guia treina cães condutores de cegos

Fundação Dorina Nowill: 64 anos contribuindo para a inclusão dos deficientes visuais

Biblioteca Braile do CCSP oferece diversos livros falados a deficientes visuais

A ONG Integra, de Brasília, é uma dessas instituições. Voltada para a assistência à população de baixa renda e aos deficientes visuais, ela realiza, desde 2001, o Projeto Cão-Guia de Cego, que seleciona e treina cães da raça Labrador para conduzir, garantindo maior independência e confiança ao deficiente visual. “O maior benefício é o aumento no capital social de cada um de nossos atendidos”, diz Michelle Pöttker, coordenadora administrativa do Projeto.

Já a Fundação Dorina Nowill realiza a inclusão dos deficientes visuais principalmente por meio da leitura. A Fundação, que atende a pedidos, transforma e disponibiliza livros e revistas em Braille, a linguagem escrita dos cegos. Só em 2009, foram mais de 55 mil livros produzidos. Outro foco da Fundação é a inclusão digital dos deficientes visuais. Além de livros e revistas, ela produz conteúdos falados e arquivos digitais especiais para pessoas de baixa visão.