Sem autorização do Governo, rádios piratas causam transtornos em São Paulo

Imagem de Amostra do You Tube

Carolina Valente   

Aeroportos e rádio legalizada são prejudicados pelo funcionamento de emissoras ilegais  

As rádios piratas são estações de radiodifusão, transmissão de ondas de radiofreqüência em situação ilegal por não ter autorização de funcionamento expedida pelas autoridades governamentais competentes. Para operar no Brasil, uma rádio necessita de autorização do Ministério da Comunicação.  

De acordo com o Centro de Mídia Independentes (CMI) o termo rádio pirata teve origem no início da década de 60 na Inglaterra para identificar irradiações em FM cuja estação emissora encontrava-se em um navio na costa britânica, porém fora do controle das milhas marítimas. Essa estação considerada ilegal pelo Governo inglês foi montada por jovens que não aceitavam o monopólio estatal e não suportavam as programações das emissoras oficiais controladas pelo Governo. Em forma de protesto, a rádio transmitia músicas e assuntos que iam contra os interesses do governo.  

Hoje, as rádios piratas se espalham principalmente entre as periferias da cidade, impedindo o controle das autoridades.  

Uma das principais preocupações dos especialistas é a intervenção dos equipamentos e radiofreqüência clandestinos na operação das torres de controle dos aeroportos, além de atrapalhar em outros tipos de equipamentos, como amplificadores, alarmes, e até microfones.  

Veremos quais as conseqüências dos problemas causados por rádios piratas, além de mostrar alternativas a elas, como as rádios online, que são de fácil criação e manutenção, e não causam problemas por não terem freqüência em ondas de radio.  

A comunicação ilegal afeta as torres de controle dos aeroportos

 Voltar para matéria Principal: