Oficinas utilizam o cinema como instrumento de inclusão social

Por Cibelle Santos, Giselle Madureira, Ivanna Ferraz, Priscilla Brum e Thiago Ghougassian

Oficinas de cinema atraem jovens do estado de São Paulo para produção e direção de curtas-metragens. Com o auxilio de voluntários, todas as atividades desenvolvidas visam, além da integração com o universo cinematográfico, a inclusão social desses jovens.   

Leia também: 
Vida de jovens pobres inspira filme e projeto social 
Cinema promove inclusão social no bairro do Capão Redondo 
Kinoforum traz oficinas cinematográficas a jovens carentes  

Além de ensinar técnicas de filmagem e direção, as oficinas oferecem verdadeiras aulas de convívio social aos alunos. Os jovens veem nesses projetos uma oportunidade de desenvolver o senso crítico e uma visão mais aguçada de seu próprio cotidiano.  

A Oficina Querô, por exemplo, nasceu do projeto do diretor Carlos Cortêz há 6 anos atrás. A missão da Oficina é transmitir valores éticos, despertar talentos, ampliar horizontes profissionais, incentivar o empreendedorismo e criar uma rede de proteção para jovens em situação de risco social, tudo isso atráves do audiovisual.    

Utilizando a própria realidade como cenário, a Oficina Querô prepara jovens humildes para diversão e conscientização

 Você também pode acompanhar pelo nosso Twitter e Blog, todo o processo e desenvolvimento que fizermos para acompanhar esses projetos que são um incentivo a mais para os jovens mudarem a forma de ver a vida como  dura para a vida que depende apenas deles para ser diferente. 

Veja: 

Blog – CinemAção http://portalcinemacao.blogspot.com/ 

Twitter – cinemacao http://twitter.com/cinemacao