SP: Bicicletada do mês de abril é dedicada às mães

   

foto thainara pereira

Participantes da Bicicletada do mês de abril

Por Thainara Pereira,  Ana Claudia Luiz, Leidiane Barbosa, Guilherme Michelini,  Vivian Rocha, Lucas Borba, Juliana Lima e Virginia Toledo.

A Bicicletada é um movimento sem liderança que reúne ciclistas toda a última sexta-feira do mês em diversas regiões do país e um dos objetivos principais é estimular o uso da bicicleta como meio de transporte. O movimento é inspirado no Massa Crítica, que ocorre em São Francisco, nos Estados Unidos desde os anos 90. Em São Paulo, a concentração ocorre às 18hs na praça do ciclista localizada entre a Avenida Paulista e a Rua da Consolação. A mais recente Bicicletada aconteceu no dia 30 de abril e foi dedicada às mães. Possivelmente, uma homenagem às mães que já adotaram a bicicleta como meio de transporte e incentivam seus filhos a pedalarem ou até mesmo incentivar àquelas que ainda utilizam outros meios de transportes.      

E apesar da maioria dos ciclistas serem homens, as mulheres chegavam em grande estilo. Com bicicletas dobráveis, de bolsa e salto alto, muitas delas fazem da magrela um meio de transporte, como se fosse um carro. “Eu trabalho de salto, então eu pedalo de salto. É como se fosse o meu carro. Se eu vou para uma balada, eu não vou de tênis para a balada. Então, é mais ou menos isso” afirma a assistente executiva, Larissa Wakatsuki.      

Na Bicicletada, os ciclistas andam em média, 2 horas. O caminho é decidido ali na hora, entre uma conversa e outra. A previsão de partida é às 20hs. A assistente financeira Camila Oliveira participa da Bicicletada há um ano e explica que a decisão do trajeto é muito simples e democrática. “O pessoal se reúne um pouco antes de sair, bate um papo, troca uma idéia e define. Sempre tem uma galera que conhece uns caminhos legais e sugere”.      

Grande parte dos frequentadores da Bicicletada utiliza a bicicleta como meio de transporte por inúmeros motivos: questões ambientais e de saúde, transporte público defasado, excesso de veículos nas ruas, entre outros. A professora de educação física Cláudia Brazão adotou a bicicleta como meio de transporte a cinco anos por causa da deficiência em ônibus e metrô, e diz que de bicicleta ela já conseguiu uma vantagem de 30 minutos em relação aos transportes públicos. “Eu ficava muito estressada porque a gente acaba perdendo horário de faculdade e trabalho e com a bicicleta, não. Você organiza os seus horários com certa antecedência e você sabe que você vai chegar”, afirma.      

Outro importante motivo que leva as pessoas a escolherem a bicicleta como meio de transporte é a situação econômica. Alguns usam a bicicleta de casa até o metro e/ou trem e as deixam no bicicletário para continuar seu trajeto de transporte público, já é uma condução a menos. Este também é o caso de Camila, que utiliza a bicicleta como meio de transporte há dois anos e garante ser mais barato e menos estressante.      

Videocast:     

Imagem de Amostra do You Tube 

Veja algumas fotos do evento:     

foto: Thainara Pereira

Público da Bicicletada é composto por diversas faixas etárias

foto: Thainara Pereira

A movimentação foi grande na Av. Paulista, local do evento

   

   

   

   

   

   

(+) Leia mais:      

 Diretor da CicloBr relata as dificuldades e exigências dos ciclistas      

 Dicas de segurança